McDonald’s vai vender molhos de seus lanches

São Paulo – Em breve, consumidores canadenses poderão levar os famosos molhos do McDonald’s para casa.

A marca irá vender, no Canadá, três molhos: do Big Mac, do McFish e do McChicken.

As embalagens, de 355mL, trazem o símbolo do McDonald’s, além do selo de “autêntico”.

Nos rótulos, os nomes dos sanduíches em inglês e francês: Filet-O-Fish/Filet de Poisson, Big Mac e McChicken/MacPoulet.

Com exceção do molho do Big Mac, considerado “ultra secreto”, os outros dois molhos são mais convencionais. O molho do McFish é um tradicional molho tártaro.

Já o McChicken leva um molho à base de maionese.

Quem primeiro noticiou os novos produtos foi a jornalista especializada em comida Diana Chan.

Em seu Instagram, ela postou imagens dos molhos. Eles foram apresentados na Grocery & Specialty Food West Convention.

undefined1

Internet transforma capas de discos em GIFs

Os discos clássicos são cultuados há décadas e a cada nova geração pessoas mais jovens têm contato com eles e se apaixonam pelos seus artistas. Dessa forma, os realizadores entram em um panteão que dificilmente saem, suas capas se tornam icônicas e os músicos são idolatrados, na maioria das vezes, durante toda a vida.

Contudo, no tempo da internet tudo está em movimento e até ícones musicais viram GIFs para serem compartilhados em redes sociais. Confira abaixo discos de Mickael Jackson, Nirvana, Pink Floyd, por exemplo, que ganharam movimento nessa divertida intervenção:

 

 

Jogador “desenha” Nike em penteado e irrita patrocinador do seu clube

Pierre-Emerick Aubameyang é um jogador em ascensão no futebol europeu. Mas da mesma maneira que deixa adversários de cabelo em pé com sua habilidade, também incomodou no último sábado (4) o seu próprio clube, o Borussia Dortmund. A razão? Uma ação de ambush marketing ou em bom português, de marketing de emboscada.

O clube alemão é patrocinado pela Puma, mas o atacante entrou em campo na vitória contra o Bayer Leverkusen pela liga nacional com um símbolo da Nike, sua patrocinadora, desenhado em vermelho sobre seu penteado.

O pior ainda é que não foi um jogo qualquer. O Dortmund conseguiu uma goleada histórica sobre o tradicional rival, um sonoro 6 a 2, o que gerou muita mídia espontânea e atraiu os holofotes para o jogo e para a mancada do atleta.

Michel Zorc, diretor-esportivo do clube alemão, afirmou com todas as letras, em entrevista para a “Sky Sports”, que está incomodado e pretende “estudar seriamente a situação”.

2736510708-auba

Biscoitos de Club Social ganham vida campanha

O Club Social transforma os biscoitos da marca em personagens bem humorados para reforçar a praticidade e conveniência do produto em campanha criada pela agência FCB Brasil.

Os personagens aparecem em cenários diversos como escritórios, academia e elevador, representando ocasiões de consumo em que costuma bater aquela fome ao longo do dia.

A estratégia investe em uma comunicação fácil e mais conectada com os elementos funcionais do produto. “Com essa nova estratégia, temos uma linguagem simples e direta, colocando os principais atributos admirados pelos consumidores da marca no centro da nossa comunicação”, explica Leonardo Dell Amico Tonini, diretor de Marketing de Biscoitos da Mondelēz no Brasil.

3847279540-club-social

50 anos de Kurt Cobain.

kurt-cobain-em-gravacao-do-mtv-unplugged-do-grupo-nirvana-em-nova-york-18111993-1466961277670_200x140
Aberdeen, uma pequena cidade litorânea no estado noroeste de Washington (EUA), viu nascer há 50 anos Kurt Cobain, o último grande mito surgido do rock e que mais de duas décadas após sua morte continua despertando fascinação no mundo todo.

Tudo o que rodeia a banda Nirvana e a figura de Kurt Cobain, que nasceu em 20 de fevereiro de 1967 e se suicidou com apenas 27 anos em 5 de abril de 1994, continua sendo notícia entre os fãs de rock e, especialmente, do grunge, um estilo que utilizou a angústia, o tormento e a solidão como desculpa para guitarras ruidosas.

Inclusive foi aberto no eBay um leilão de uma das guitarras de Cobain, um modelo azul da marca Hagstrom, e parte dos lucros obtidos pelo leilão será destinada à caridade.

A discografia do Nirvana é relativamente reduzida (três álbuns de estúdio, “Bleach”, “Nevermind” e “In Utero”; e um disco ao vivo, “MTV Unplugged”), mas a morte e popularidade de Cobain favoreceram a edição ao longo do tempo de compilações, reedições e material inédito.

 

Skol constrói Roda Gigante no Largo da Batata

Quem passar pelo Largo da Batata a partir do próximo sábado (18) irá se surpreender. É que a Skol irá instalar no local uma Roda Gigante de 21 metros de altura. Nela serão distribuídas fantasias de Carnaval.

Cada uma das 16 cabines da Roda Gigante representará um tema relacionado à folia: piscina, circo, floral, bailarina, melindrosa, entre outras. Ao entrar, o folião encontrará disponível fantasias, adereços e maquiagem de cada tema, tudo totalmente gratuito.

Com capacidade para 64 pessoas, a atração terá entrada gratuita e permitida somente para maiores de 18 anos e funcionará nos dias 18 e 19 e de 24 a 28 de fevereiro, das 10h às 20h.3517532024-roda-gigante

A estranha (e maluca história) do logo mais conhecido do mundo

 

publicitarios-criativos-11-1140x630

Se te pedirmos para falar o nome de uma marca com M, o que irão dizer? Marvel, Michelin ou Marlboro talvez? Mas tenho quase certeza que a maioria irá dizer McDonald’s!

 

Isso porque o M mais famoso do mundo está praticamente em todos os lugares! São 30.000 restaurantes em 119 países e mais de 68 milhões de pessoas, por dia, comem os famosos hambúrgueres e batatas fritas lavadas com Coca-Cola e shakes.

Mas e se eu perguntar, de onde vem o M e qual a cultura de utilizá-lo? Será que muitos vão dizer: “Ora M de McDonald’s!” ? Pra falar a verdade, esses arcos que formam o famoso M, não tem pretensão alguma de alta cultura nem se quer uma grande história. Calma, vamos te explicar.

Em 1948 os irmãos, Richard (‘Dick’) e Maurice (‘Mac’), lançaram uma nova linha de montagem e um novo conceito de fast food: hambúrgueres por U$ 0.15 e uma gigante chamada “hambúrgueres famosos McDonald”. Já em 1952, Dick e Mac sentaram-se com o arquiteto Stanley Clark Meston e seu assistente Charles Fish. O plano era projetar um restaurante à beira da estrada que pudesse ser franqueado. Dick havia esboçado dois meios círculos que ele pensava que ficaria bem em cada extremidade da estrutura, fazendo ser visto, de longe, pelos os olhos dos motoristas e suas famílias famintas.

Meston, que trabalhou como cenógrafo para a Universal Studios e arquiteto de restaurantes dinamizados nos anos 30, transformou os meios círculos de Dick em um par de parábolas de metal douradas com 25 pés de altura e de néon, os arcos pareciam mais com um restaurante de um milhão de dólares do que 15 centavos.

Na década de 1960, McDonald’s quase desistiu dos arcos arquitetônicos de Meston, a empresa, no entanto, ouviu o psicólogo americano Louis Cheskin, que havia trabalhado com sucesso para a Ford.

Kroc, O CEO da McDonald’s, deixou cair os arcos dourados parabólicos das extremidades dos restaurantes, transformando-os, graficamente, no arco duplo, ou o M, aperfeiçoado em 1968. Os arcos atraíram a atenção de artistas contemporâneos e a instalação deles, feita por Masato Nakamura, foi exibida pela primeira vez no Museu de Arte Contemporânea de Tóquio em 1998.

Fred Turner and Ray Kroc the executive leaders of McDonald's Corporation looking at blueprints of future restaurant. McDonald'sp0469fnv

“Thriller”, de Michael Jackson, bate recorde com 33 mi de cópias vendidas

 

cena-do-videoclipe-thriller-de-michael-jackson-dirigido-por-john-landis-1464367751321_v2_900x506

 

O lendário álbum de Michael Jackson, “Thriller”, alcançou, nesta quinta-feira (16), um novo recorde ao atingir a marca de 33 milhões de cópias vendidas nos Estados Unidos desde seu lançamento em 1982.

A RIAA (Associação da Indústria de Gravação da América) anunciou a cifra recorde alcançada pelo disco um ano após começar a ser divulgado on-line.

 

“Thriller”, que conta com alguns dos maiores sucessos da história como “Beat It” e “Billie Jean”, parece estar perto de perder sua coroa como o álbum mais vendido de todos os tempos.

O disco foi lançado durante uma época de ouro para a comercialização da música, estimulada pela promoção de produções no canal MTV.

As vendas do álbum caíram na última década, em paralelo com o desenvolvimento da divulgação da música on-line, embora os lucros da indústria musical tenham se recuperado com a ascensão das plataformas de streaming, como o UOL Música Deezer.

O segundo disco mais vendido na história dos Estados Unidos é “Their Greatest Hits (1971-1975)” do Eagles, com 29 milhões de cópias.

Os herdeiros de Michael Jackson afirmam que “Thriller” vendeu mais de 105 milhões de cópias em todo o mundo, apesar das cifras globais ainda serem difíceis de quantificar.

O álbum “Bad” (1987), também de Michael Jackson, vendeu 10 milhões de cópias, revelou a RIAA.